Chaves

História e Brasão

Sobre a história e o brasão da família Chaves é um pouco mais difícil de encontrar informações, um dos motivos sendo a confusão com o ainda existente município de Chaves em Portugal. Parece ter sido um sobrenome toponímico (referenciando a origem geográfica do indivíduo), o que explicaria ele ser tão comum e não haver uma genealogia unificada.

Considerando que a etimologia do nome da cidade de Chaves tem mais a ver com a dinastia romana Flavius e que em latim referencia uma cor de cabelo amarelo-durado-marrom[7], utilizar objetos chaves (mesmo que na cor dourada) é um acidente linguístico. Talvez uma brincadeira em jogo de palavras que eu faria, mas não esperaria que a própria cidade fizesse:

Brasão da Cidade de Chaves.png

Tudo de azul, ponte de três arcos de prata, movente dos flancos, lavrada de negro, saiante de um contra-chefe ondado de prata e azul; em chefe, escudo de prata carregado de cinco escudetes de azul postos em cruz, carregado cada um de cinco besantes de prata e com uma bordadura de vermelho carregada de sete castelos de ouro, acompanhada de duas chaves de ouro, estando a da dextra volvida em cortesia.

Escultura do Brasão de Chaves.png

Apesar de haver bastante confiabilidade nas informações históricas da Cidade de Chaves, não há certeza de que o sobrenome Chaves seja em sua referência. Há alguma confiança de sua origem ser da região de Portugal e Espanha, onde ele é muito comum. O Nobiliário das Famílias de Portugal (Tomo XII, páginas 92~94) diz:

Os [Chaves] de Castella tem seu Sollar em Caceres, e Troxilho, descendem de hum Cavalheiro q tendo Troxilho com sua Fortaleza em Humenagem a ElRey, I he poz cerco hum Rey Mouro vezinho, e elle vendo-se apertado mandou dizer ao Rey Mouro se queria entregar, e p.a isso lhe queria fallar só p.a q os seus não desconfiassem, e saindo da Fortaleza com as Chaves, despedindo-se da sua m.er e f.a lhe recomendo q se elle morresse fizessem hua fogueira de seus moveis e nella se queimassem. Sahio levando as Chaves da fortaleza e deixou os q o acompanhavão emboscados; o Rey Mouro vendo vinha só se chegou a elle, e nesta occasião sahirão os embuscados, e o Rey Mouro fugio logo, e todo o seu exercito supondo era grande o puder q vinha sobre elles, e assim se livrou, e chegando a Fortaleza achou sua m.er e f.as com hua fogueira e os seus trastes ao pe; foi o Cavalheiro entregar as Chaves a ElRey q estava na Andalozia, e o Rey lhe m.ce da Villa e Castello e lhe cazou as f.as com homens Fidalgos e lhe deo por Armas cinco chaves de prata em um campo Vermelho, e timbre hua chave das Armas, mas deste não vem os Chaves de q aqui tratamos.

Resumindo: um cavaleiro com castelo cercado de inimigos, depois de trancar mulher e filhas na fortaleza e instruir a elas suicídio caso ele não voltasse, blefou que iria se entregar, escondeu tropas para uma emboscada, fingiu um ataque que fez os invasores recuarem e assim manteve o castelo. Contou para o Rei, que deu várias recompensas dentre elas o sobrenome e o brasão, MAS NÃO É DESSA FAMÍLIA QUE ESTAREMOS FALANDO NAS PRÓXIMAS PÁGINAS.

Em seguida, o nobiliário registra que o patriarca da família Chaves sendo documentada é Ruy Lopes de Chaves, que ganhou o nome por conquistar a Cidade de Chaves dos mouros para D. Afonso Henriques em 1160 - última vez que a cidade trocaria de reino! Apesar disso, o nobiliário não escreve as armas da família até a chegada de Alvaro Gonzalez de Chaves (de relação incerta a Ruy):

Em Campo de Prata cinco chaves de ouro, em Aspa, com hum trosal vermelho atadas, timbre duas Chaves em aspa atadas com o mesmo trosal.

[3] https://www.chaves.pt/pages/143

[4] https://monumental.chaves.pt/pages/127

[7] https://en.wiktionary.org/wiki/flavus